Estilo muito ligado à génese do Condado Portucalense, cuja independência foi conquistada em 1139, o Românico deixou um Património de valor incalculável, principalmente ligado à componente religiosa e militar. Mas há muito mais para desvendar nos Vales do Sousa, Douro e Tâmega. Aceite o desafio do All About Portugal e vá mais longe: trace um roteiro, no Norte de Portugal, repleto de História, aventura e paisagens de cortar a respiração. A Rota do Românico representa um convite irresistível para se apaixonar ainda mais por esta região do país: vai conseguir resistir? Complete o roteiro que lhe propomos com uma passagem por alguns dos 58 monumentos que compõem esta Rota.

Castro de Monte Mozinho, Penafiel

É um dos destaques, mais a norte, da ocupação romana na Península Ibérica. Povoado entre entre os séculos I e V d.C., ajuda a desenhar os contornos, nomeadamente urbanísticos, da região noutros tempos. Na construção destacam-se complexas habitações romanas, uma acrópole e duas linhas de muralhas. Para completar a "lição", não deixe de visitar o Museu Municipal de Penafiel, onde poderá admirar o espólio encontrado no Castro.

Centro de Interpretação do Românico, Lousada

Também de passagem obrigatória é o Centro de Interpretação, inaugurado em 2018. Um "casamento" perfeito entre a atualidade e o Românico, o espaço contém exposições, informação especializada e até momentos interativos. Ideal para uma visita em família, o Centro tem diversas aplicações e atividades para todas as idades, que combinam a aprendizagem com diversão. Em termos de arquitetura, o edifício ecoa ainda o tamanho e forma dos monumentos que marcam o estilo Românico.

Ecopista do Tâmega, Amarante - Arco de Baúlhe

E que tal aventurar-se pela Rota do Românico a pedalar? Em parte ou na totalidade, a Ecopista do Tâmega é um dos melhores desafios à sua resistência. São 39 quilómetros entre Amarante e Arco de Baúlhe, acompanhando uma das linhas ferroviárias mais bonitas do país. Deixe-se encantar pela paisagem natural, muitas vezes ao lado do Rio Tâmega, bem como pelas aldeias e pontes que surgem no caminho. O difícil será resistir a parar e registar fotograficamente este verdadeiro tesouro nortenho.

Estação Arqueológica do Freixo - Tongobriga

Termas, necrópoles e até um teatro: são muitos os traços habitacionais que resistem na Área Arqueológica do Freixo, da localidade galaico-romana Tongobriga. São visíveis vias antigas, evidenciando o papel de Tongobriga como um dos principais centros urbanos da Lusitânia. A visita ao espaço pode ser feita de forma livre ou com guia, havendo também algumas atividades pedagógicas. Nas imediações pode visitar a Igreja de São Martinho de Soalhães e a Igreja do Salvador de Tabuado.

Fábrica de Pão de Ló de Margaride, Felgueiras

O Pão-de-Ló não é só para dias de festa. Adoce este roteiro com uma passagem pela Fábrica de Pão de Ló de Margaride, um dos locais incontornáveis mais a norte quando o assunto são doces. A confeção continua a ser sobretudo artesanal, sendo que a história do espaço começou a escrever-se no princípio do século XVIII. Pouco depois, em 1888, recebeu a designação de Fornecedora da Casa Real Portuguesa. Além do Pão-de-Ló, não deixe de provar as tradicionais cavacas.

Golfe de Amarante - Quinta da Devesa

Acrescente alguma adrenalina ao seu roteiro. Fazer golfe torna-se ainda mais especial quando se tem como pano de fundo o Rio Tâmega e a Serra do Marão. Integrado na Quinta da Devesa, perto de Amarante, este é espaço imperdível para quem não resiste a sonhar com um "Hole in One". Além de golfe, há ainda outras atividades imperdíveis incluídas no território do Sousa, Douro e Tâmega, nomeadamente a prática de BTT, o Parque Aquático de Amarante e o Magikland, em Penafiel.

Ilha dos Amores, Castelo de Paiva

Também conhecida como Ilha do Castelo, é um dos locais de visita incontornável em Castelo de Paiva. Onde o Douro e o Paiva se encontram, brota esta ilha pequena e idílica, capaz de inspirar histórias de amor e artistas de todos os géneros. Deixe-se conquistar por este pedaço encantador, deserto e "instagramável", e fique a conhecer as lendas que se contam sobre aquele local paradisíaco. Caso esteja preparado para um desafio mais radical, aproveite a oferta de desportos náuticos.

Parque da Senhora do Salto, Paredes

Para quem gosta de Natureza, é um ponto de passagem obrigatória. Envolto em grande misticismo, é incrivelmente belo e multifacetado: tem caraterísticas geológicas majestosas, nomeadamente escarpas onde se faz rappel e escalada, percursos pedestres e vistas privilegiadas. Se é fã de observação de aves, traga o material necessário e tente encontrar um falcão-peregrino e uma andorinha-das-rochas, entre outras. Complete esta jornada com uma visita ao Centro de Interpretação da Senhora do Salto.

Parque do Freixieiro, Castelo de Paiva

Além de um Parque de Campismo e uma Praia Fluvial, poderá encontrar também em Celorico de Basto um Parque Urbano para retemperar energias. Há um espaço de merendas, um lago com vários "habitantes" e um parque infantil, entre outras áreas. Pode igualmente aproveitar os percursos pedestres para um passeio ou uma corrida. Ao longo do Parque encontra ainda moinhos e noras restaurados, assim como um campo de jogos e outras atividades de lazer.

Parque Fluvial de Porto de Rei, Resende

Termine este roteiro em cheio numa das praias fluviais inseridas no território da Rota do Românico. Pode optar pelos parques fluviais de Cinfães, Marco de Canaveses e Resende, aqui na imagem. No Parque Fluvial de Porto de Rei há muitas atividades lúdicas à disposição, assim como piscina e parque de merendas. Para embelezar ainda mais os seus mergulhos, deixe-se conquistar pela paisagem do Douro em redor, com muitos espaços verdes. Trata-se de uma praia fluvial com "Bandeira Azul" e vigilância.