Alfândega da Fé

Tendo como referências a Serra de Bornes a norte, o vale do rio Sabor a sul, o planalto de Castro Vicente a este e o vale da Vilariça a oeste, Alfândega da Fé é uma região de contrastes. Com altitudes alternando entre os 400 e os 1200 metros, a geografia e a paisagem são uma verdadeira síntese de Trás-os-Montes: as serras, os planaltos de altitude, os vales cavados e profundos dos cursos de água e as zonas de vale aberto. A flora encontra-se ali bem representada, com a cultura de castanheiros, sobreiros, oliveiras, amendoeiras, cerejeiras, laranjeiras e videiras, para além dos cereais, como o centeio, que ainda há pouco tempo se cultivava a cerca de mil metros de altitude. Embora existam vestígios arqueológicos de um povoado de origem castreja, Alfândega da Fé encontra as suas origens no período de ocupação muçulmana da Península Ibérica. Ali se construiu uma fortaleza e colonato de seu nome “Alfandagh”, palavra que significa hospício, estalagem ou fronteira, designando o local de repouso tranquilo encontrado pelos muçulmanos. A conquista da região pelos neogodos das Astúrias deverá ter acrescentado “Fé” à palavra original. Apesar de nos séculos XVIII e XIX a cultura do bicho-da-seda ter assumido especial importância, o concelho encontra na agricultura a sua maior riqueza, com ênfase na produção de azeite, cereja e amêndoa. A transformação destes produtos dá também origem a outras atividades como a produção de doçaria e de licores tradicionais, para além do fumeiro e queijo típicos da região. A produção da cereja tem vindo a assumir um papel importante no turismo do concelho, com a realização da Feira da Cereja e dos Produtos Biológicos, sendo que a qualidade dos produtos locais já lhe valeu o nome de Capital da Cereja do Nordeste Transmontano.

Best Of Alfândega da Fé

Alfândega da Fé Hotel & Spa

Alfândega da Fé

Hotel luxuoso complementado por um SPA implantado no coração da Serra de Bornes, a cerca de 1000 metros de altitude. Possui um restaurante panorâmico a servir as melhores e mais tradicionais iguarias da região. Mas o destaque vai para o magnífico SPA, com vistas panorâmicas para a serra e um espaço suspenso para massagens.

Torre do Relógio

Alfândega da Fé

Torre do relógio medieval, constituída por uma planta quadrangular e um telhado em coruchéu piramidal encimado por cata-vento. Com funções militares, sofreu várias reformas na época medieval.

Solar dos Morgados de Vilarelhos

Alfândega da Fé

Solar setecentista de planta em U, integrando uma capela barroca. Inicialmente tinha uma planta longitudinal até que, no século XIX, foram acrescentadas umas alas, transformando a planta em U. No portal aparece a data de 1744 inscrita.

Serra de Bornes

Alfândega da Fé

Serra com uma altitude máxima de 1200 metros, localizada no prolongamento das serras de Montesinho. É uma boa escolha para os praticantes de parapente e asa-delta.

Portal de Entrada da Casa dos Mendonças

Alfândega da Fé

Portal em granito maneirista, provavelmente construído no último quartel do século XVII. Apresenta um vão reto com ombreiras ladeadas por duas meias colunas toscanas e encimado por dois pináculos e uma cruz latina. Acredita-se que foi integrado no muro que ...

O Garfo 2

Alfândega da Fé

O Garfo 2 em Alfândega da Fé é uma daquelas casas onde a quantidade tem tudo a ver com a qualidade. Ou seja, este é um restaurante com capacidade para 200 pessoas mas que mesmo nos dias em que está ...

Monte da Cerca

Alfândega da Fé

O Monte da Cerca era um povoado fortificado com função residencial e militar, estando implantado numa elevação isolada, dominando Sendim da Serra, no extremo este da linha de cumeada que arranca no Castelo de Gouveia, com o qual se pensa ...

ver mais