Portugal é um dos países mais antigos do mundo e não faltam motivos para o explorar. São muitos os monumentos e locais de interesse histórico que se podem encontrar em todas as regiões e o crescimento do turismo é prova disso. O All About Portugal preparou um roteiro cheio de pontos relevantes. Aceite as nossas sugestões e, acredite, não sairá defraudado no final desta enriquecedora viagem pela história.

Castelo de Guimarães

É um ponto incontornável neste roteiro, ou não fosse considerado o berço da nação e o local onde terá nascido D. Afonso Henriques, o primeiro rei de Portugal. Começou a ser construído no século X, primeiro como mosteiro e, posteriormente, foi ampliado e adaptado a fortaleza e a Castelo. É Monumento Nacional e quem visita o ex libris da cidade minhota não pode deixar de perceber também os motivos que levaram a UNESCO a classificar o seu entusiasmante Centro Histórico como Património Mundial.

Ponte Romana de Chaves

Ícone da passagem dos romanos por Portugal, a ponte sobre o rio Tâmega, concluída sob o comando do imperador Trajano, é um dos monumentos romanos mais bem conservados no país, apesar dos seus quase dois mil anos. Notável obra de engenharia, esta ponte tem perto de 150 metros de comprimento e está assente em arcos de volta perfeita, em granito. A meio da ponte sobressaem duas colunas com inscrições que invocam nomes dos antigos imperadores e os 10 povos que ajudaram à sua construção.

Torre dos Clérigos

Construída nos inícios do século XVIII, a Torre que se ergue imponente no centro do Porto tem 75 metros de altura, o que faz com que seja um miradouro belíssimo sobre a cidade. A subida é feita ao longo de uma escada em espiral com 240 degraus, mas verá o seu esforço bem recompensado quando atingir o topo e se puder deliciar com a magnífica vista. O conjunto arquitetónico dos Clérigos, que integra ainda a Igreja, é de inspiração Barroca e está classificado como Monumento Nacional desde 1910.

Universidade de Coimbra

É a mais antiga do país e uma das mais antigas da Europa, tendo sido fundada em 1290. Curiosamente, começou a funcionar em Lisboa e alternou desde 1308 entre as duas cidades, até ser transferida definitivamente para Coimbra, em 1537. O seu legado histórico é incontornável e o crescimento da cidade está intrinsecamente relacionado com a instalação da instituição. O património material e imaterial único levaram a UNESCO a atribuir-lhe o estatuto de Património Mundial.

Palácio do Buçaco

O cenário é idílico. Inserido na grandiosa Mata do Buçaco, o Palácio, que atualmente funciona como unidade hoteleira, é uma obra deslumbrante de inspiração Manuelina que nos remete para um mundo de fantasia. A vista magnífica do jardim para o edifício é um dos motivos que fazem com que o Palace Hotel do Bussaco seja considerado um dos mais belos hotéis históricos do mundo, digno de receber a realeza. O Palace Hotel representa um conjunto arquitetónico, paisagístico e botânico inigualável.

Aldeia Histórica de Monsanto

Entrar nesta Aldeia Histórica é como que fazer uma viagem ao passado. É no concelho de Idanha-a-Nova, próximo da fronteira com Espanha, que encontramos aquela que no tempo da ditadura de Salazar venceu o concurso de aldeia mais portuguesa de Portugal e desde aí que o epíteto pegou. Passeie pelas suas ruelas de casas de granito e fique a perceber porque alguns visitantes se apaixonam à primeira vista. Desfrute ainda da lindíssima vista panorâmica que o seu ponto mais alto oferece.

Castelo de Almourol

Já sonhou com um castelo construído numa ilha? Existe mesmo e fica em Vila Nova da Barquinha, no distrito de Santarém. Há quem o considere o mais belo Castelo de Portugal e não custa perceber porquê, dado o “pormenor” de ter sido edificado numa pequena ilha no Rio Tejo. É um dos monumentos militares medievais mais representativos da Reconquista e que melhor evoca a lembrança dos Templários. Durante o século XX, o conjunto funcionou como Residência Oficial da República Portuguesa.

Mosteiro de Alcobaça

É mais um Património Mundial da UNESCO para abrilhantar este roteiro. O conjunto do Mosteiro de Alcobaça é um dos mais representativos e bem preservados exemplares da arquitetura Cisterciense, uma ordem religiosa, em Portugal. A igreja é a maior em estilo Gótico Primitivo feita no país. Destacam-se a cozinha, revestida de azulejos, a chaminé ou o tanque “alimentado” com água corrente. O templo acolhe os túmulos dos reis D. Pedro e D. Inês, que viveram uma trágica história de amor.

Torre de Belém, Lisboa

Ir a Lisboa e não a ver é o mesmo que ir a Roma e não ver o Papa. Igualmente Património Mundial, em conjunto com o vizinho Mosteiro dos Jerónimos, a Torre de Belém é um dos monumentos mais fascinantes da capital de Portugal, para além de ser um símbolo do próprio país e da época dos Descobrimentos. Foi concebida inicialmente com a função de defesa marítima de Lisboa e nela podem observar-se símbolos como a Cruz da Ordem de Cristo, a esfera armilar ou as armas reais.

Palácio da Pena, Sintra

Outro cenário deslumbrante digno de acolher a realeza. É considerado um dos melhores exemplares do Romantismo arquitetónico do século XIX em todo o mundo e terá sido o primeiro palácio Romântico da Europa. Está assente sobre uma rocha escarpada e destaca-se na Paisagem Cultural de Sintra, classificada pela UNESCO como Património Mundial. Antes ou depois de subir até à Pena, e de se deixar encantar pela beleza da floresta, não deixe de visitar o Centro Histórico da vila.

Templo Romano, Évora

Mais abaixo no mapa, no Alentejo, não pode deixar de passar por Évora para visitar o seu Templo Romano, um dos maiores e mais bem conservados da Península Ibérica. O ex libris da cidade alentejana, também conhecido como Templo de Diana, é Património Mundial desde 1986. De facto, estudos recentes apontam para que o monumento tenha sido construído como homenagem ao Imperador Augusto e não à deusa da caça. Caso goste de emoções fortes, aconselhamos também uma visita à Capela dos Ossos.

Forte Nossa Senhora da Graça, Elvas

Outro monumento imponente que não deixa ninguém indiferente. Localizado no Monte da Graça, um dos pontos mais altos da região, o Forte foi a resposta encontrada, em 1763, pelo rei D. José I para fazer face às investidas dos espanhóis. É considerado um dos melhores exemplares da arquitetura militar da Europa no século XVIII e uma das fortalezas abaluartadas mais poderosas. É o ponto mais emblemático do Património Mundial constituído pela Cidade-Quartel Fronteiriça de Elvas e suas Fortificações.